"Nove e nove? Eu: dezenove... Eu só sabia rimar... Matemática de poeta: quem erra depois acerta, quem acerta pode errar"
Meu Bê-a-bá
(Luiz Fidelis)
letras
O Caador
(Janduhy Finizola)


Tudo comeo, madrugada, alvorecer.
A vida inteira j comea a renascer
Mas que contraste faz um tiro de espingarda
Guarda incerteza, malvadeza, que tristeza.
por certo o caador
O das aves matador
Que dormiu numa tocaia
A esperar que caia
Inocente a juriti
Pobrezinha nesta vida
To cedo pra bebida
Voou... Nunca mais voltou

Que sol bonito. Infinito o viver
Quantas rolinhas, ribas pra gente ver.
Quase em segredo canta um canto de arremedo
E logo o tiro to certeiro e traioeiro
por certo o caador
Pra matar arremedou
Rola branca ou cascavel
Pra ele mais trofu
Do que carne pra comer
Nem a mida cafofa
S tinha quase pena
Quanta pena ela deixou

Sol poente a asa branca
Vem tambm beber e vai morrer
Morre assim tanta beleza
Que Deus por natureza
Deixou l no serto oh
Pois por certo o caador
De caar no se cansou
Mas se assim continuar
S resta pra matar
Atirar na solido


fotos com fãs
Envie sua foto com Santanna Veja as fotos de Santanna com seus fãs
discografia
Forr A Arte do Abrao
Forr A Arte do Abrao (2008)

Este trabalho pode ser encontrado no website da Atração: www.atracao.com.br

© Copyrigth 2009
Santanna O Cantador
Contato para shows:
(81) 99986 1783
Desenvolvimento:
SER Digital